Daily Inspiration

If someone's behavior makes your stomach tight, attend. Your stomach may be reacting to an energy that is unloving. It is only when you attend to your inner feelings that you can take loving action in your own behalf.

By


Fobia de Compromisso: Você tem fobia de compromisso?

By Dr. Margaret Paul
October 26, 2012



Você tem medo de se comprometer com um relacionamento, por medo de perder a si mesmo(a)? Você se limita, pois se sente responsável pelos sentimentos de seu parceiro(a),quando está num relacionamento? Neste artigo, aprenda como curar a fobia de compromisso.



Marilee, uma cliente minha, tinha fobia de compromisso. "Eu adoraria estar em um relacionamento amoroso", ela me disse, em uma de nossas sessões de aconselhamento, "mas eu não estou disposta a abrir mão da minha liberdade. Tenho uma vida maravilhosa. Amo meu trabalho e meus amigos. Eu adoro viajar e fazer cursos e workshops. Eu não quero que ninguém me diga o que posso ou não posso fazer. Eu não quero lidar com o sentimento ferido de alguém, porque eu quero trabalhar, em vez de ficar com ele. Não vale a pena, todos esses problemas."

Marcus, um dos meus outros clientes, também tinha fobia de compromisso. "Quando não estou em um relacionamento, tudo o que eu penso é estar comprometido. Eu realmente quero alguém para brincar, amar e crescer. Porém, logo depois de entrar em um relacionamento, eu começo a me sentir preso. Sinto-me como se eu não pudesse fazer o que quero  e  começo a ficar ressentido da pessoa que está me prendendo. A maioria das vezes, ela não tem ideia do que está acontecendo e fica atordoada pelo rompimento. Ela pensava que estava tudo bem. Depois de deixá-la, eu estou de volta à estaca zero - querendo estar em um relacionamento. Já aconteceu, várias vezes ".

Fobia de compromisso tem suas raízes na crença de que ao amarmos uma pessoa, nós somos responsáveis pelos sentimentos dela e não pelo nosso. Uma vez que acreditamos que somos responsáveis pelos sentimentos de dor ou rejeição dos outros, como resultado de nosso comportamento, nós acreditamos que é preciso nos prender, a fim de não perturbar a outra pessoa. Então, em vez de defender a nossa própria liberdade e direito de exercer o que nos traz alegria, limitamos a nossa liberdade, num esforço para ter o controle sobre os sentimentos da outra pessoa. Isso, sempre vai levar ao ressentimento.

"Marilee," eu perguntei numa de nossas sessões por telefone: "E se você escolhesse alguém que também amasse o trabalho dele e a liberdade pessoal ?"

"Francamente, eu não consigo imaginar. Todo homem com quem eu já estive num relacionamento, queria passar mais tempo comigo, do que eu com ele. Eu estou apenasescolhendo o homem errado, repetidamente?"

"Não", eu respondi. "Mas você não está sendo firme na sua liberdade desde o início. Você oferece muito no começo, porque você gosta de estar com ele, porém como já discutimos, você também desiste muito de si mesma no início. Você faz amor, quando não quer. Você fica mais tempo, do que você quer, por medo de machucá-lo. Portanto, quando você começar adizer a verdade, ele é surpreendido e magoado. Até que você esteja disposta a arriscar perdê-lo desde o início, ao invés de se perder, você vai continuar a criar relações que restringem a sua liberdade. Você acaba acreditando que é a relação que te limita, mas são seus próprios medos e crenças que te mantêm presa.

Nas minhas sessões com Marcus, ele descobriu que não tinha idéia de como defender-se num relacionamento. Assim, que uma mulher quisesse alguma coisa dele, ele dava. Ele não conseguia dizer não, simplesmente. Então, naturalmente, ele acabava se sentindo preso.

Marcus descobriu que seu medo de dizer não a uma mulher, veio de duas fontes:

Ele acreditava que era responsável pelos sentimentos dela e que era ruim se ele fizesse alguma coisa que a incomodasse.

Ele estava com medo de que se ela se sentisse magoada, ela iria ficar com raiva e rejeitá-lo.

Como resultado desses dois medos, Marcus repetidamente desistia dele mesmo nos relacionamentos. No entanto, desistir dele mesmo  criava ressentimentos por sua parceira eeventualmente, ele não queria mais estar com ela e deixava a relação.

A fim de ter, tanto a nossa liberdade pessoal e estar em um relacionamento sério, nós precisamos aprender a assumir a responsabilidade por nossos próprios sentimentos, em vez dos sentimentos da outra pessoa e precisamos estar dispostos a perder a outra pessoa, em vez de nos perder. Fobia de compromisso cura, quando você se torna forte o suficiente para ser fiel a si mesmo, mesmo em face da raiva, perda e rejeição do outro. Se você quer ter um relacionamento amoroso, então precisa fazer o trabalho necessário de Inner Bonding (Ligação Interna) para desenvolver um adulto próprio e forte e ser um advogado poderoso de sua liberdade pessoal. Ingressar na nossa comunidade, irá apoiá-lo no desenvolvimento de sua prática consistente de Inner Bonding e acabar com sua fobia de compromisso.

 



Attribution-NonCommercial-NoDerivs
CC BY-NC-ND


Send this article to a friend    Print this article    Bookmarked 0 time(s)
Bookmark and Share    Share with Del.icio.us    submit 'Fobia de Compromisso: Você tem fobia de compromisso?' to digg Share with Digg    Share with StumbleUpon
There are no videos, Click to add one to the gallery!
There is no audio, Click to add audio to the gallery!
There are no pictures, Click to add one to the gallery!

Comments


More Help

Looking for help with Fobia de Compromisso: Você tem fobia de compromisso??

Search for solutions on Fobia de Compromisso: Você tem fobia de compromisso? within the InnerBonding.com website using Google's Site Search.

Click to Share
Facebook Digg it MySpace Twitter Stumbleupon Windows Live Yahoo! My Web Linked in